A CRIAÇÃO (CERCA DE 3000 ANTES DO BLONEAD)

Desde o inicio dos tempos que não existia uma separação entre o céu e a terra. Tudo era um buraco vazio sem um principio nem um fim. Foi então que os primeiros dois deuses entraram no mundo. Eram duas divindades com poderes de criação. A honorável Leya envolta em luz e esperança, incansável e com uma ambição excepcional pela harmonia e pela vida. Bergelius pelo outro lado juntou-se ao nada. Arrogante, assegurou-se que não teria de partilhar o seu poder com mais ninguém. A hostilidade entre Leya e Bergelius continuava a crescer até que um dia uma grande batalha começou entre eles. Leya perdeu a batalha condenando-a a uma vida de cativeiro sob o domínio de Bergelius.

Ele criou um sitio misterioso e negro - que era gelado e rodeado pelas sombras. A deusa, prisioneira, mas ainda cheia de esperança, usou as suas habilidades sobrenaturais para observar a criação do seu adversário. Com os seus próprios poderes ela criou o limite entre o céu e o inferno. Este fenómeno foi chamado mais tarde de dia e noite. Ao mesmo tempo que isso, Leya lançou as fundações da vida: terra, água, ar e fogo.

Ela decorou o mundo com continentes, vegetação e diversas criaturas tanto na terra como no mar. Ele deu o nome de Andaron a um dos continentes - hoje chamado de Iberia - e chamou aos seus primeiros habitantes de Mu. Como ela não podia defender a sua criação, criou oito deuses protectores e encarregou-os de proteger o mundo.

Bergelius não viu a criação de Leya até ela estar completa. Muito zangado pela sua distracção ordenou a Parakelius, um dos seus mais leais servos, que destruísse a criação o mais rápido possível. Parakelius e os seus seguidores puseram-se de imediato a caminho do mundo idílico. Um nevoeiro espesso espalhou-se pelo continente, levando ao medo e ao horror. Parakelius enganou os Mu com a sua malvadez e convenceu-os a juntarem-se ao Reino das Sombras. A paz de Andaron tinha sido destruída.

Os oito deuses protectores lançaram então um grande diluvio para destruir todo o mal e aversão e assim Andaron foi salvo. A enorme massa de água quase que destruiu todas as criaturas vivas no mundo. Os poucos que sobreviveram, fugiram para a ilha de Britron, na costa oeste de Iberia.

No entanto a influencia do mal continuava de pé: no isolamento da ilha muito tornaram-se em monstros. Parakelius usou a sua influência e transformou todos os habitantes de Briton em monstros. As criaturas da ilha formaram então a tribo militar dos Rahu.

Entrar Já registado?
Registar Ainda não tens uma conta?

Com o meu login aceito os T&Cs

É fácil o registo e é gratuito.

Introduz simplesmente o teu endereço de correio electrónico e podes começar de imediato!

A tua palavra-chave temporária será enviada para o teu endereço de correio electrónico.


Os nossos termos e condições e a política de privacidade também se aplicam dentro do jogo.